Falando sério




Hoje eu vim falar de um assunto delicado. Vocês devem ter ouvido falar do massacre na escola de ensino fundamental  em Newtown, em Connecticut aqui nos EUA. Não tenho muito a dizer sobre o caso, não há muito o que se dizer, na verdade, apenas lamentar esta barbaridade... Mas passei esses dias pensando muito neste fato.  
Acontece que desde que me mudei pra cá meu maior medo sempre foi de um louco invadir a escola onde meus filhos estudam e vitimizar um monte de gente que nada tem a ver com seu sofrimento e trauma diretamente. Sempre alertei meus filhos, cuidado na escola, cuidado no ponto de ônibus, cuidado com os coleguinhas. Se você se sentir em alguma situação de risco vai precisar agir com sabedoria... Eles entendiam o que eu queria dizer, já são grandinhos, lêem jornais e já tem uma certa noção ao que estamos sujeitos neste mundo e neste país.
Mas como falar pro meu bebê de apenas dois anos que ele precisa se cuidar também? Como dizer que há pessoas que matam crianças da sua idade? Como dizer que se acontecer alguma coisa e eu não estiver lá pra protegê-lo ele vai precisar se cuidar?
Estamos cansados de saber que o que ocorreu não foi um fato isolado, pelo contrário, vez ou outra sai um doido de casa disposto a acabar com tudo que encontrar pela frente. Ano passado foi aquele no cinema, lembram? Semana passada na China, teve um cara que entrou na creche e saiu atirando em todos os bebês que viu pela frente... É ou não é, de partir o coração? 
Então sentei com meu Miguel e conversei com ele. Disse a ele pra sempre confiar em Papai do Céu, que Ele sempre vai protegê-lo, mas  que se algum dia ele ouvisse barulhos estranhos (tipo Pow,pow) dentro da escola e que se as pessoas começassem a correr, que ele deitasse no chão e fechasse os olhinhos e fingisse que estava dormindo. Eu sei, parece neurótico, mas eu tinha que dizer alguma coisa...E isso foi o que eu disse. 
Não há como mensurar a dor daqueles pais agora. Não consigo imaginar a tristeza de seus corações, nem em quantos anos de terapia os sobreviventes vão se livrar das memórias daquele dia terrível. Mas sei que Deus tem uma razão pra tudo, não consigo entender isso hoje, mas peço que ele console o coração de cada pai, mãe, irmão de cada criança que se foi e que ele possa guardar as nossas, livra-las das maldades deste mundo.
Sem mais por hoje.
Beijos!

Comentários

  1. Esta imagem que você postou me chocou muito no dia. Imagino mesmo o quanto de terapia os sobreviventes vão ter de fazer para superar isso e, numa idade tão tenra passar por um trauma destes, talvez nunca se recuperem nesta vida. Que Deus abençoe à todos os envolvidos. Fique firme aí, querida! Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Somente Deus para abençoar essas famílias!
    Não é fácil!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Não é fácil, tem muitas pessoas más a todo o momento temos que ter fé em Deus eu leio o Salmo 91 quase todos os dias e digo de todo coração quando meu marido sai de casa: Deus te abençoe! Também peso para Deus guardar a sua saída e a sua chegada, outro dia um caminhão cortou a frente dele chegou em casa pálido, ali já tive a prova de que Deus o está protegendo. Bjs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada, seu comentário é muito importante pra mim!!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Calça branca

Sobre como me vejo no espelho

Dando um tempo